No início, é tudo paixão.  Você encontra aquele que pode ser a sua cara metade, se entrega ao romance, ao sexo e aquele início gostoso de qualquer relacionamento.   A coisa evolui, você vai conhecendo o outro melhor e ambos percebem que são diferentes – claro, todos temos nossa individualidade.  E é aí que começa a fase dos ajustes.  Um cede de cá, o outro cede de lá e ambos vão tentando alinhar sonhos, expectativas, alegrias e tristezas.

Unknown

Um pouco mais de tempo passa e a tendência é que apareça um ponto crítico.  Acontece com todo mundo.  Sempre tem aquele negócio que o outro faz e que te incomoda, mas faz parte dele e fica difícil pedir para parar.  É aceitar ou continuar.  Quando o amor é forte, a gente continua e prospera.  Relacionamentos vingam quando mais do que admirar e amar as qualidades do outro, a gente aprende a tolerar as diferenças.  Uma regra de ouro.

Porém, existe um porém.  Se fosse assim tão fácil, casais não estariam se separando com tanta facilidade.  As vezes o angú dá caroço porque os envolvidos esquecem que faz parte do conjunto da obra alguns acordos.   E estes precisam ser respeitados.  Se há quebra, precisam ser revistos.  E muitas vezes entra em jogo a paciência, o bom humor do dia, o período em que você está na sua vida… e aquele maldito acordo batendo na sua cabeça, sendo quebrado por uma das partes e  tendo que ser revisto diversas vezes, como um buraco sem fundo.

Amor, o que tem de mais publicar minhas selfies sem camisa?
Amor, o que tem de mais publicar minhas selfies sem camisa?

 

Ajustes são necessários e nem sempre estamos com paciência ou com mente aberta para entender.  Um dia estamos plena emoção e o outro está plena razão. Algumas vezes eles parecem injustos para um dos lados, parecem desnecessários até, geram desentendimentos e cansam.  Cansam muito.  Mas é aí que está a magia do amor.  Se a gente ama, no final conseguimos lidar com a questão.  Algumas vezes, preferimos até criar uma briga e encarar as consequências disso – vale a pena se o resultado final for a manutenção do que foi combinado.  Manter acordos também significa escolher, algumas vezes, entre o ruim e o pior ainda.

Estar junto é uma montanha russa de emoções, sentimentos e calores aflorados.  E como uma pessoa que ama, preciso alertar quem está começando que é melhor estar preparado.  É doce, é gostoso, mas não é mole não.  Filet Mignon só fica bom na chapa quente mesmo.  E isso serve para o amor  e para todo mundo que quer se relacionar.

BeefCutPlate

Escrito por Isa Schulberg

Isa Schulberg é loira, escritora, jornalista e, nas horas vagas, é psicótica, antropóloga e psicóloga. Quando não está descalça atualizando seu blog, está sempre com os pés em um salto, de olho no que rola por aí.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s