O Carnaval acabou, finalmente o ano começa para todos.   Muito sol, creme de camomila para estimular a loirice natural, vodka e uma fantasia de tigre resumem um pouco do meu feriadão.  Mas não estou aqui para falar de mim e sim de coisas importantes que aprendi nesta viagem.

Não sou Glorinha Kalil, nem tenho a mínima pretensão de ser. Ou você nasce educado, com pais que te ensinam que é feio colocar os cotovelos na mesa, ou está condenado a cometer gafes para o resto de sua vida mundana.  Por isso, eu não condeno aqueles que meio sem querer, acabam se tornando a piada da mesa, na verdade, até tenho pena deles.   Porém, eu sou implacável, venenosa e detesto aquelas pessoas que são completamente sem noção.

O Loira no Salto também é serviço público, então, para você que vai viajar acompanhado, aí vão 10 preciosas dicas do que não se deve, em hipótese alguma, fazer neste tipo de situação social.  Aprenda ou compre seu ticket para o próximo foguete direto para Urano.  E não volte nunca mais, por favor.

1 – Não tente ser engraçadinho se você não tem o mínimo senso de humor.   Fique calado, comente as piadas alheias, mas evite comentários que podem não ser bem aceitos no grupo.  Como falar de baleias diante de uma pessoa que está ligeiramente acima do peso.

2 – Sua bagagem é a sua bagagem.  Se você achou por algum motivo surreal que tinha que levar o armário inteiro, você será condenado a não só carregá-lo sozinho durante a viagem, como também por mantê-lo organizado. Espalhar suas coisas invadindo o espaço privado alheio não é legal.   É podre.

3 – A regra número 2 vale ao contrário. Esqueceu o filtro solar?  Abra sua carteira, pare na farmácia e compre um para sua própria pessoa.   Pedir emprestado uma vez é permitido, pedir SEMPRE emprestado é o mesmo que escrever na testa sou pobre e preguiçoso.

4 – Faça a sua parte.  Se todo mundo vai cozinhar, ofereça-se para ajudar.  Se seus dotes culinários não são dos melhores, lave a louça ou arrume a mesa.  Viajar em grupo significa dividir tarefas, a não ser que você vá para um resort e esteja usufruindo de tudo que seu dinheirinho pagou.

5 – O som é comunitário, então, você pode sugerir músicas ou se empolgar quando tocar aquele hit que mexe com você.  Mas nunca grite que todas as outras eram uma porcaria ou algo similar.   O seu gosto não é o único no mundo.

6  – Cada um no seu quadrado.  No supermercado você paga seu próprio biscoito e não coloca eles no meio das compras que serão rateadas no final da viagem.

7  – Fotos, muitas fotos.  Mas pedir para um dos amigos ficar horas te fotografando nas mais diversas poses, nem sendo a Gisele.  Quer se olhar, leve seu próprio espelho de mão ou, no mínimo, sua câmera chique que gira a lente para tirar auto-fotos da sua própria pessoa.

8 – Por falar em fotos, registros das pessoas bêbadas são para usufruto do grupo.   E não para serem mostradas para o pai de um dos presentes, principalmente se ele é o anfitrião que cedeu a casa para o grupo.

9 – Você tem o direito de não participar das atividades sugeridas pela maioria, mas NÃO tem o direito de reclamar se decidiu participar.

10 – Se tudo o que foi dito acima parece sem sentido ou sem propósito,  evite viajar em grupo.  Seja justo: viaje sozinho.  Ou faça o favor de nascer de novo.  A humanidade agradece.

Escrito por Isa Schulberg

Isa Schulberg é loira, escritora, jornalista e, nas horas vagas, é psicótica, antropóloga e psicóloga. Quando não está descalça atualizando seu blog, está sempre com os pés em um salto, de olho no que rola por aí.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s